02/09/11

BENTO XVI... ENTÃO?...


Este dia 30 de agosto, no Vaticano, Bento XVI disse algo que ...

"Sem a Eucaristia não podemos ser verdadeiros cristãos e a própria Igreja não pode construir-se para a salvação do homem" (Agência Eccleisa)

É moda dizer primeiro uma verdade e depois uma falsidade. Neste caso a primeira verdade nem o é. Segundo o que sempre nos ensinou a Santa Igreja Católica (Romana), um cristão verdadeiro não pode optar por viver sem a Missa, mas pode viver sem ela caso não possa chegar a ela. O mais preocupante é a segunda parte "a própria Igreja não pode construir-se para a salvação do homem". Temo que seja herética a a afirmação ou suposição de que a "Igreja pode construir-se para salvação do homem".

Convido aos conhecedores da Doutrina Católica (portanto estão fora os que não integram na sua formação a Doutrina pré-conciliar como fundamental) a apreciarem esta afirmação de Bento XVI e, se possível, emitirem aqui o resultado.

A primeira parte da frase, evidentemente, contem erro doutrinal se temos em conta a Doutrina Católica.

Certamente que toda a frase foi aplaudida por muitos católicos e suspeito que até por alguns do catolicismo tradicional mais distraídos ou mais superficiais.

7 comentários:

Anónimo disse...

heresia???? aqui ainda andam no tempo da inquisiao

Olga Teixeira disse...

"a própria Igreja não pode construir-se para a salvação do homem".

beto XVI ao referir tais palavras apenas quer afirmar que a eucarista é o centro dela e é nesserio viver com ela.

dizez bem que podemos viver sem ela, caso a nossa vida e o mundo não permita. mas é verdade que o Homem moderno necessita, mais do que nunca, a eucarista, e as pessoas, mais do que nunca, necessitam de ouvir tais palavras.

o que está em causa é a forma como keremos ver essas interpretações.

a respeito do "anónimo": a inquisição deve ser analizada e estudada por nós e por informações viáveis. não pelas vozes duminates...

Olga Teixeira disse...

"Certamente que toda a frase foi aplaudida por muitos católicos e suspeito que até por alguns do catolicismo tradicional mais distraídos ou mais superficiais."

imagina a igreja sem eucarista?

ascendens disse...

A tua introdução dá logo alarme "beto XVI ao referir tais palavras apenas quer afirmar que..."

O que o Papa quis dizer?!!! Então quis dizer outra coisa diferente do que disse?!!! E se foi engano a Ecclesia publicava tais erros como verdades e sem aviso aos leitores?!!!

Portanto, o Papa enganou-se, a Ecclesia enganou-se e a Olga Teixeira está certa. Até poderia ser, mas perante a gravidade do caso e na falta de uma explicação sou levado a crer que o erro é apenas este:

A Olga Teixeira a tapar o Sol coma peneira! (Até rimou)

"o que está em causa é a forma como keremos ver essas interpretações." Portanto, só não está em causa a forma como a Olga Teixeira quis interpretar! Aquilo que afirmou é um absurdo completo não lhe parece?!!! Como devo interpretar a sua interpretação?!!! Será que pode haver diálogo com alguém ou com alguma religião se eles dizem "cremos que Deus não é trino" e a Olga interpreta "Eles dizem que Deus é trino"? Não distingue "interpretar" de "adulterar" ?!!!

Em suma, o que o Papa afirmou é tão somente o que afirmou, nem mais nem menos. E o que afirmou é errado (possivelmente heresia, uma ou duas). Isto foi transmitido aos jovens.

Entre várias conclusões obrigatórias (não vale a pena fugir)uma delas é: os jovens foram doutrinados com falsa doutrina pelo próprio Papa. A isto acrescenta-se um problema: este caso é um entre outros 5 do POUCO que vi.

Toda esta situação é real e nem sequer entra no domínio da INTENÇÃO do Papa. Não creio que o Papa tenha querido enganar os jovens... mas objectivamente, fora de intenções enganou os jovens. É esta dificuldade em reconhecer realidade objectiva e subjectiva que os Papistas e sedvacantistas caiem constantemente. Os sedvacantistas supõem a intenção própria para uma determinada acção rejeitando que tal acção possa ter outras intenções ou até não ter, os papistas supõem excepções para uma determinada acção rejeitando a intenção própria. E aproveito para explicar isto que é importante: o sedvacantista diz que se o Papa diz uma heresia é porque teve intenção de a dizer, o papista faz o contrário, quando o Papa diz uma heresia negam o facto e supões uma intenção totalmente diferente que anularia o que foi dito. A Santa Igreja, que diz que o seu pensamento está resumido em S. Tomás de Aquino sempre nos ensinou o tomismo, portanto, Olga, o que é afirmado pelo Papa é uma acção consequente com VALOR real (que no caso dos jovens foi deplorável, e é heresia), e não há volta a dar, independentemente das intenções.

A moda das hermenêuticas alastrou-se como mais uma modalidade liberalista e relativista: sempre que encontram algo errado e não agrada tratam de "interpretar" para manterem o erro e adaptarem a situação.

Portanto, na frase em questão, há duas heresias. Quanto a esta última parte parece-me que a Olga sempre pode olhar novamente o artigo e reflectir sobre o que escrevi (não reflicta sobre o que "eu quis dizer", por favor...). A última parte da frase supões que a Igreja pode construir-se !!!

ascendens disse...

INFORMAÇÃO:

Um leitor fez um reparo ao uso da palavra "Eucaristia" e "Missa", palavras que têm significados diferentes.

Devido à gravidade da frase de Bento XVI todos os deslizes (por menor gravidade) foram deixados de lado. O artigo não tem por objectivo tratar da análise total da frase.

O exemplo dado, no qual empreguei a palavra "Missa", tem presente que a Missa é eucarística em si mesma, e que o todo contem as partes.

Não há motivo para preocupações quanto a isto.

Já agora, os modernistas costumam usar a palavra "Eucaristia" como se fora sinónimo de "Missa". Uso perigoso visto que a Missa contem a Eucaristia.

Olga Teixeira disse...

entendo o que dizes...

sabes bem qd uma pessoa dz Não eu enterpreto como tal.

O Papa nem nem sequer afirmou tais coisas. Nunca referiu a palavra Não nem Sim. Certo?

A Igreja "constrois-se". isso é uma verdade.
Ela, ao longos dos anos, foi-se construindo, tendo mais membros, mais organismos, mais pessoas, mais participação.
repara: A Igreja pode viver em crise actualmente, mas está mais organizada, estruturada (não se trata de modernismo).
Desde quando é que se falada em ongrecações do vaticanos? Desde qd é que se fála em Organismos eclsisásticos? Desde qd é que se fála em movimentos?
Portanto: a Igreja "constroi-se".

"Sem a Eucaristia não podemos ser verdadeiros cristãos e a própria Igreja não pode construir-se para a salvação do homem".

Ele é claro.

A Eucaristica ajuda os membros na sua construção, atravez da fé. Ela lava-nos a um perfeicoamente cada vez melhor e mais santo.
Sem a Eucaristia nunca haverá uma "construção" válida, eficaz, santa (por muito boa que essa "construção" seja sem a eucarista será uma construção meramente relativa).
A Eucaristia ajuda-nos a ver o belo, santo e verdadeiro e a distinguir factos.

insistico que bento XVI foi claro.

abraço.

ascendens disse...

Erros:
1 - "A Igreja "constrois-se". isso é uma verdade" ... A Igreja é o Corpo Místico de Cristo, é imaculada, santa (não peca). A face visível da Igreja, essa sim que pode aparecer mais forte ou ténue, etc, mas não a Igreja. A Igreja não se pode construir, lamento. Isto é a Igreja Militante, certamente esse tipo de dúvida não é colocado para a Igreja Triunfante nem a Padecente (nem os modernistas colocam em causa que estas partes da Igreja não mudam). Ora a Igreja Militante tem a particularidade de estar no meio do mundo e o seu aspecto humano pode confundir a muitos, o que é o caso.

2 - "A Igreja pode viver em crise actualmente, mas está mais organizada, estruturada". Totalmente falso. O caos é total e as "organizações" actuais que se dizem ser da Igreja concorrem contra Ela. A organização existente é inútil e destruiu a existente. É pena que os católicos hoje desconheçam a Igreja Católica e a civilização católica. As nações católicas eram uma extensão do cristianismo, hoje elas estão organizadas contra o cristianismo. A sociedade mais civilizada se sempre é, ou foi, a católica,por isso a barbárie de hoje coloca os não católicos como os mais "civilizados". Basta ver os universitários que temos hoje, recorrem a muito aparato, despejam um monte de assuntos, e fica tudo por terra por terem uma lógica empedernida. Na civilização católica até a velhinha das hortaliças sabia detectar o erro pelo olfacto. É lamentável que os modernistas conservadores e os progressistas não consigam largar o apego à terra e quererem viver para a salvação da alma. A postura católica é a da salvação da alma e o desprezo do mundo, e é em sociedades assim que Deus faz crescer civilização verdadeira, com os seus frutos que podem ainda ser visto na arte, nos santos, nos costumes, etc... É pena que muitos digam que este ou aquele país é mais civilizado, quando na verdade se referem apenas à crueza e superficialidade em abundância. Tudo o que é realmente bom é católico por natureza.

3 - "Desde quando é que se falada em ongrecações do vaticanos? Desde qd é que se fála em Organismos eclsisásticos? Desde qd é que se fála em movimentos?" Desde quando não se fala de tudo o que foi destruído e está a ser MANTIDO sob o solo com tais organizações, movimentos e organismos? Esse parece o argumento típico republicano: "no tempo de Salazar éramos pobres", mas omitem que antes de Salazar ainda eram mais pobres. A Olga faz o mesmo: diz que hoje existe isto e aquilo, mas esquece o que ontem havia e que foi destruído ou que está "impedido". Além disso são essas novidades de que fala que servem para impedir todo o funcionamento tradicional da Igreja. Mas a que pode a Olga hoje pedir informação sobre o passado da Igreja se os livrinhos que inundaram a Igreja depois do Concílio foram feitos pelos seus assaltantes? Enfim...

4 - "Ele é claro"... É sim, é claro. São duas heresias contra a Doutrina da Igreja.

5 - "Ela lava-nos a um perfeicoamente cada vez melhor e mais santo." Isso é já outro assunto, mas merece comentário: A Eucaristia é o que é, vale o que vale, mas nada é possível a que continuar a desprezar parte da Doutrina da Igreja, ou, por exemplo a desprezar o magistério Papal ordinário colocando de lado vários documentos, com o caso do Sylabus). Quem por falsa prudência coloca condicionalismos na aceitação do que a Igreja nos ensinou sempre, por egoísmo vai contra a vontade de Deus (primeiro mandamento da lei de Deus: Amara a Deus sobre TODAS as coisas).

O artigo já explica suficientemente o caso. Se quer comentar aqui o assunto não ignore o que o artigo já explica.

TEXTOS ANTERIORES