01/08/16

O BRASÃO PELO QUAL SE PODE ORAR CCCXXIII


4 comentários:

Josephvs disse...

"Também existiu esse imposto em Portugal criado por D. Miguel para financiar a guerra com o seu irmão"

https://oinsurgente.org/2016/08/01/imposto-sobre-as-janelas/#comments

É verdade isto ou é mais fdp a malhar em Dom Miguel

ASCENDENS ASCENDENS disse...

Caro Josephvs,

obrigado por comentar.

o imposto sobre as janelas era usado em vários reinos, pelo menos no séc. XIX, e de forma mais conhecida a Inglaterra.
O chamado "imposto das janelas" é uma das formas antigas do nosso actual imposto de habitação, que é feito segundo critérios de espaço e não de aberturas para a rua (as janelas que não estavam voltadas para a rua, não contavam). Este imposto era aplicado apenas em DUAS cidades, e tinha por fim cobrir as despesas de manutenção das ruas (concerto das calçadas, limpezas, os gastos com os adornos para os dias das procissões principais, etc..). Evidentemente, o Nobre era quem tinha palácios de cidade nas ruas principais, ocupavam grandes fachadas (há palácios de fachada grande e imponente, com pouco fundo e poucas traseiras), e os restantes iam tendo casas conforme a sua dignidade e também possibilidade... já os pobres viviam em casas nas traseiras, nos terrenos de pouco valor. Este critério (penso que de origem inglesa) é muito prático (para os fiscais), rápido, e adaptado à realidade.

Certamente que hoje, perante o individualismo, e a forma automatizada da sociedade, as pessoas, ao ouvir "imposto das janelas" quase não conseguem estabelecer relação alguma com a realidade... e tolinhas, criticam algo bom como se fora mau, e louvam o mau como se fora bom!

Volte sempre.

Josephvs disse...

Obrigado

Mas fiquei sem saber se a afirmação do ditto palerma é verdadeira!

Foi defacto no reinado de Dom Miguel?

ASCENDENS ASCENDENS disse...

A afirmação do dito "palerma" é adequada: é palerma.
Ele que diga como é que se financia uma guerra com o dinheiro do imposto de janelas em Lisboa e no Porto! É redutor dizer que foi contra o irmão... não, não é essa a questão: a guerra foi contra uma revolução liberal, encabeçada pela maçonaria INTERNACIONAL, promovida pela banca internacional, e colocado à frente um príncipe que a nossa lei e costume rejeitara por ter perdido a legitimidade. Como pode ver, é ignóbil tratarem de fazer de tamanha calamidade (perca do trono, perca do sistema monárquico tradicional, a subjugação maçónica, o penhoramento da banca internacional) a um guerra de zangas de irmãos!

Por outro lado, a força em torno do rei, era em parte voluntária, como bem se viu nas Beiras. E a angariação de DONATIVOS eram enorme. Era Portugal a defender-se! E ainda nos vêm falar de um pequeno imposto, tão bom e tão justo, como o das janelas?! ... Por favor! Não ligue a esses seguidores de fábulas fáceis.

Sim, segundo sei, o imposto das janelas ou foi tomado por D. Miguel, ou foi restaurado por ele. Sei que os liberais eram contra. Acho que com a vitória dos revoltosos esse imposto foi logo abolido.

Vote sempre.

TEXTOS ANTERIORES