A POMBA, A GAIVOTA, E O DELÍRIO INTERPRETATIVO!

Recentemente, na Praça de S. Pedro depois do Angelus (28 de janeiro de 2013), Bento XVI lançou duas pombas. Uma das pombas foi ligeiramente atacada por uma gaivota, e ficou encolhida ali numa janela ao lado esperando o perigo passar. As duas pombas tinham sido lançadas pelo Papa em sinal de paz no enquadramento da chegada da Caravana pela Paz. O acontecimento foi mostrado pela comunicação social, e seguiram-se os mais variados comentários.

Há dois polos contrastantes de interpretações a respeito do acontecimento: uns tentam minimizá-lo dizendo que no final a pomba pôde voar tranquilamente, e outros dão-lhe significados tão preocupantes (e é da interpretação destes que tratarei agora).

Anunciação - painel de mosaicos da capela do Es.Santo e S. João Baptista (Lisboa)
Segundo esses a gaivota atacante seria a boa, e a pomba atacada seria a má! Parece-me que foram invadidos de uma emoção estranha por terem feito da gaivota mascote de súbitas alegrias, apenas depois buscaram suporte racional para os seus sentimentos.

A pomba, entre nós, tem um bom significado, e a gaivota não tem significado (ou se tem é desconhecido do geral). Mas que fundamentos têm para se inimizarem contra a pomba e aplaudirem a gaivota? Eis os supostos fundamentos:

1 - Gabam-se de que a gaivota é uma ave universal (que em grego se diz "católica"). Logo a gaivota seria aqui símbolo do catolicismo;
2 - Dizem que a pomba é um símbolo que tem sido usado falsamente, e por isso está maculado, mas o da gaivota não;
3 - Dizem que a gaivota, por ser monogamiaca, é um sinal anti-liberal, porque o liberalismo se relaxa a esse respeito. A gaivota não seria então compactível com o liberalismo nem com a actualidade do Vaticano.

O leitor certamente se apercebeu do "altíssimo nível" de fundamentações que esta gente tem...!

"Catolicizaram" a gaivota, apoiando-se num argumento natural (e meramente quantitativo), esqueceram-se da igual "catolicidade" da pomba segundos os mesmos princípios. E tudo se deve ao acontecimento mais santo para esta gente: o ataque a uma pomba lançada por Bento XVI. Valha-nos o novo dogma de tão fraco sentimentalismo!

Mas não só converteram a gaivota... "excomungaram" também a pomba. Segundo a posição destes senhores, o uso dos símbolos caduca quando um inimigo da fé os usasse com outro sentido! Então experimentemos hoje substituir a "pomba" por "gaivota católica" na Sagrada Escritura, apaguemos todas as correspondentes representações na arte. De forma idêntica fizeram outros idênticos tolos a respeito de outras simbologías, como foi o caso de duas mitras de Bento XVI (1 e 2).

Dizem que depois de João XIII a pomba começou a ser usada de forma corrompida. Aquela pombinha de ramo no bico, que dizem não ser a mesma "pomba católica" que representa o Espírito Santo aparece no brasão de um Papa... justamente o Papa anterior a João XIII: PIO XII

Brasão de Pio XII
Qual seria o significado da pomba no "milagre das pombas", repetidamente feito por Nossa Senhora de Fátima junto à sua imagem, acontecimento que se deu em várias partes do mundo? Será que este caso foi esquecido pelos "adoradores da gaivota"? Certamente que a emoção lhes roubou a memória, a não ser que sejam espanholátricos e o seu catolicismo termine no Imperador Carlos V...

Podia procurar outras características! Por exemplo, que a gaivota atacante, por baixo com as assas abertas é toda branca, mas sobre as asas é escura, enquanto a pomba lançada pelo Papa era toda branca por igual. Assim fariam passar a pomba por verdadeira e a gaivota por falsas. Mas como isto não convinha à "alegria ruidosa" dos gaivotanianos (fica a sugestão para uma nova irmandade) toca de escolher algo mais rebuscado que encaixasse nas vãs expectativas.

Mais foi dito: que "santa gaivota" é anti-liberal, imagine-se, por ser um dos tantos animais monogâmicos (não me chamem a testemunhar). Mas, afinal a pomba um animal poligâmico?... Se sim, isso deve ser tão importante que Deus nem sequer nos recomendou tolerância para com ela e, mesmo assim a Tradição não se repugnou que ela represente o Espírito Santo.

São interpretações liberais essas dos gaivotanianos, que se desprendem tão generosamente dos factos que só escolhem deles os que agradam, e não se sujeitam a mais. Parece-me que, sinceramente, não é pomba a ave que paira sobre suas cabeças, mas sim uma outra de dorso escuro por cima, e branco por baixo.

 Porque motivo se terão alegrado tanto eles contra a pomba? A resposta parece-me simples: eles identificam-se com aquela gaivota atacante. Mas a mesma euforia une-os com marxistas e maçons, não digo que seja caso de tentarem juntos um "ecumenismo de reacções"...

A conclusão espantosa dos gaivotanianos deve-se a duas coisas: por um lado tomam para si um espaço interpretativo sem temor de reprimendas ou castigos (o que dá aso a tudo o que lhes apeteça), por outro lado têm o vício da reacção contra Bento XVI, seja como for. Com estas duas premissas constroem juízos de qualidade pior aos que desejarão um dia para eles mesmos na hora das contas. À pomba deram-na símbolo da mentira, talvez em homenagem à paz que dizem ter. Com riso nervoso, chamaram ao acontecimento na Praça de S. Pedro "humor de Deus" (cada um tem o deus que lhe apetece)...

O que aconteceu na praça de S. Pedro é bem mais simples: O próprio Papa lançou as pombas ao perigo, como se o perigo não estivesse ali (não o viu no momento, mas estava lá)!

4 comentários:

Anónimo disse...

"A saber: Se com a tua boca confessares ao Senhor Jesus, e em teu coração creres que

Deus o ressuscitou dentre os mortos, serás salvo." (Romanos 10:9)

"Quem crer e for batizado será salvo, mas quem não crer será condenado." (Marcos

16:16)

“...Ele vos batizará com o Espírito Santo e com fogo.” (Mateus 3:11)

"Deixo-vos a paz, a minha paz vos dou; não vo-la dou como o mundo a dá. Não se

turbe o vosso coração, nem se atemorize." (João 14:27)

"Se me amais, guardai os meus mandamentos. E eu rogarei ao Pai, e ele vos dará outro

Consolador, para que fique convosco para sempre; O Espírito de verdade, que o mundo

não pode receber, porque não o vê nem o conhece; mas vós o conheceis, porque habita

convosco, e estará em vós. (João 14:15-17)

"Graça a vós, e paz da parte de Deus nosso Pai e da do SENHOR Jesus Cristo."

(Filipenses 1:2)

"Assim que, se alguém está em Cristo, nova criatura é; as coisas velhas já passaram;

eis que tudo se fez novo." (II Coríntios 5:17)

A paz no coração ou no eu interior do ser humano, vem através da graça de Deus.

Somente recebe a graça aquele que arrepende do seu pecado, pede, recebe o perdão

divino e crê no sacrifício de Cristo na cruz. Apenas o que crê através de livre

decisão, será salvo e batizado com o Espírito Santo de Deus. As coisas velhas,

representa o espírito mundano e pecaminoso que havia dentro da pessoa, antes dela

aceitar ou receber o Senhor como único Salvador. Note que aqueles que estão fora da

graça e do perdão divino não vivem em paz, porque não viram e portanto não

conheceram o amor, perdão e a graça do Pai. Levando-se em conta o que foi observado,

é imprescindível que todos se conscientizem de que a figura da pomba que desceu

sobre Jesus relatado em (Mateus3:16), foi apenas um símbolo para ilustrar o

verdadeiro sentido do batismo que acontece dentro do ser humano, quando o Espírito

Santo do Pai passa a habitar nessa pessoa que nasceu denovo através da aceitação do

sacrifício do filho tornando-se assim uma nova criatura com um espírito regenerado e

vivificado pelo poder de Deus que ressuscitou o Mestre dentre os mortos. Logo

qualquer imagem, fotografia, pingente, escultura e até mesmo a adoração do pombo

(ave), constituem idolatria perante o Criador, e ainda dá direito para o espírito

maligno da pomba gira que na verdade é um demônio de atuar na vida da pessoa que

carrega ou utiliza tais objetos. O Príncipe da paz é Jesus e sua paz reinará no

mundo através da expansão do seu Reino à medida que os povos, tribos e nações forem

se rendendo ao Salvador.

ASCENDENS ASCENDENS disse...

Caro Anónimo,

Obrigado por ter comentado.

Achei oportunas as transcrições da Sagrada Escritura, tanto que se deu ao trabalho de as procurar, coisa que honra o artigo e até o blogue.

Tenho convidado os "anónimos" a usarem o seu nome verdadeiro. E visto que veio falar da Paz de Cristo, aquela que é apoiada na graça, parece-me que é o melhor momento de apelar a todos que, pelo menos em nome da mesma Paz, não temam identificar-se!

Sim, sem dúvida que esta exploração excessiva dos "gaivoteanos" parece vir de alguma perturbação. Contudo não podemos ignorar a perturbação daqueles que fazem justamente o contrário: perante o perigo, perante o mal, perante a demolição do cristianismo, ficam imóveis ou, imagine-se a falta de graça: dizem presenciar algo normal ou até bom. A falta de graça, tanto traz a perturbação verdadeira como a "paz" falsa.

"Somente recebe a graça aquele que arrepende do seu pecado" ... É falso. Há vários tipo de graça. Não há arrependimento sincero dos pecados sem a acção da graça! O erro doutrinal que acaba de cometer leva a outros erros doutrinais muito graves que estão na base do falso ecumenismo, por exemplo (na verdade, aquele antigo protestante que se converteu ao catolicismo, tinha então recebido uma graça pela qual se moveu à aproximação com a Fé verdadeira etc...) etc ...

ASCENDENS ASCENDENS disse...

Não sei se está a usar "velhas" no sentido que o usa a Escritura Sagrada ao falar de "velho" e "novo". Diz-me: "As coisas velhas, representa o espírito mundano e pecaminoso que havia dentro da pessoa, antes dela aceitar ou receber o Senhor como único Salvador." As Escrituras falam do "homem velho" e do "homem novo", mais ou menos com o sentido que está a dar a "coisas velhas". Como não define "coisas velhas" é impossível que os leitores entendam a sua opinião. O que seria "uma coisa velha"!? ... As coisas históricas são, por exemplo essas "coisas velhas"!? Apenas depois de explicar-se, poderemos entender!...

Custa-me ter que fazer estas correções, mas ninguém faria bem em omitir a correção, esta matéria não é leve. Então, diz-me: "Note que aqueles que estão fora da graça e do perdão divino não vivem em paz, porque não viram e portanto não conheceram o amor, perdão e a graça do Pai." Sim, é certo que fora da graça não há Paz (a verdadeira Paz é, por isso, aquela a que chamamos "a Paz de Cristo"), contudo a sua explicação com tem erro: não foi porque não tivessem visto nem conhecido, pois mais grave é o pecado daqueles que viram e conheceram! Expliquei-me!? Esse "porque", essa causa, é falsa, caro "anónimo"! Basta tirar essa frase, e o resto está bem.

ASCENDENS ASCENDENS disse...


Diz-nos ainda "Levando-se em conta o que foi observado,é imprescindível que todos se conscientizem de que a figura da pomba que desceu sobre Jesus relatado em (Mateus3:16), foi apenas um símbolo para ilustrar..." ... S. Mateus não disse "figura" mas sim "forma". São coisas distintas! Por exemplo, os anjos, que são puro espírito, não têm corpo, e por isso não têm FORMA nem FIGURA sensíveis, aparecem tomando FORMA, sem que isso seja alguma encarnação (cf. St. Tomás de Aquino). O Espírito Santo, no Baptismo de Nosso Senhor, desceu em FORMA de pomba, que é diferente de ter descido com FIGURA de pomba. A figura é a "grafia" da forma (permita-me esta tentativa de definição mais adaptada à nossa linguagem comum). A pomba tem um significado paralelo ao do cordeiro, tanto que naquele tempo as pombinhas virgens eram oferecidas ao templo, símbolo da pureza! Antes da Criação, Deus já tinha em conta a pomba, o cordeiro, a ovelha, a serpente, etc. segundo os diferentes fins marcantes na história da salvação, e a pomba iria por Ele ser usada. O animal pomba, porta em si as marcas naturais próprias para tal fim, assim, Deus, antes de toda a criação quis este animal que cumpre naquela situação a sua mais elevada missão. A pomba é aquele animal que deu a boa notícia a Noé de que o tempo propício tinha chegado etc etc... Mas porque nos diz que "é imprescindível que todos se conscientiem de que a figura ..."!? ... Nunca ouvi alguém dizer que as pombas são o Espírito Santo! Nunca ouvi ninguém dizer que o Espírito Santo encarnou numa pomba!? ... Acho que está a fazer alarmismo sem necessidade sequer de dar um ligeiro aviso. E diz ainda "...símbolo para ilustrar o verdadeiro sentido do batismo que acontece dentro do ser humano..." ... uhm... o Sacramento do baptismo recebe-se na alma, mas não o "sentido do baptismo"!!! Como é isso!?... Como é que na alma acontece o "verdadeiro sentido do baptismo"!? Não ... !!! Não é o sentido do baptismo que acontece, realiza-se o sacramento do baptismo, que é uma coisa muito real! O Sacramento do Baptismo, no acto, não abrange apenas a alma, porque nele existem sinais externos necessários. Como o Baptismo nos tornamos filhos de Deus e templos do Espírito Santo! Diz ainda "quando o Espírito Santo do Pai..."!!! Como assim!? O Espírito Santo é uma PESSOA de Deus, tal como o PAI, tal como o FILHO, e a PESSOA do Espírito Santo procedeu das PESSOAS do Pai e do Filho, e não do PAI apenas!...Olhe isto: "...tornando-se assim uma nova criatura com um espírito regenerado e vivificado pelo poder de Deus que ressuscitou o Mestre dentre os mortos." ... Com um "espírito regenerador"!?... Quanto ao resto da frase: oratória, nada mais a constar!

Reparei apenas agora que não é católico, e sim protestante, ao ler: "Logo, qualquer imagem, fotografia, pingente, escultura e até mesmo a adoração do pombo(ave), constituem idolatria perante o Criador" ... Esse "logo" não leva a nada e não veio de lado algum! Para fazer conclusão tem que apresentar premissas. Onde estão elas!? Não estão! Queira então apresentar as premissas, e depois voltaremos a esta questão, caso queira!

Pronto... ficamos por aqui. E rogo a Deus que lhe dê a graça da conversão.

Volte sempre que vier com recta intenção.

TEXTOS ANTERIORES