11/02/12

O CATECISMO CATÓLICO - "Puro e Duro"... (I)

(1ª parte do artigo "El Catecismo Católico" - Roma, ano VII - Nº 32, Verão 1973/74 BUENOS AIRES)


Os três conhecimentos necessários para a salvação e quatro pontos obrigatórios de todo o catecismo católico

Há mais de um século que a ignorância religiosa vem sendo denunciada pelos Papas como o maior mal do mundo moderno. Ela apenas fez crescer o obscurantismo espiritual na nossa época pós-conciliar.

O remédio directo contra a ignorância religiosa é a instrução religiosa. O catecismo, ensinamento com este nome e contido num livro assim igualmente chamado, tem por fim garantir os conhecimentos necessários para a salvação.

Segundo toda a tradição doutrinal e pedagógica da Igreja, codificada no catecismo do Concílio de Trento, há três conhecimentos necessários para a salvação:

I. O conhecimento do que há de crer-se: Conhecimento que instrui a virtude teologal da Fé e que é dado pela explicação do Credo.
II. O conhecimento do que há de desejar-se: Conhecimento que instrui a virtude teologal de esperança e que é dado pela explicação do Pai.
III. O conhecimento do que há de obrar-se: Conhecimento que instrui a virtude da caridade e que é dado pela explicação dos mandamentos de Deus.

Estes três conhecimentos necessários para a salvação são por ordinariamente ineficazes sem os sacramentos; a explicação dos sacramentos, constitui o quarto ponto obrigatório de todo o catecismo católico.

Catecismo católico; há apenas um. Assim, todo o catecismo católico comporta quatro pontos obrigatórios: os três conhecimentos necessários para a salvação e a explicação dos sacramentos.

Alguém poderia até acreditar que isto é apenas o que dizemos aqui nós neste artigo. Mas a ignorância, a indiferença religiosa e o esquecimento que hoje reina com arrogância sobre o clero decadente não podem mudar nem suprimir a verdade: são a doutrina e a prática constantes da igreja que impõem os quatro pontos obrigatórios de todo o catecismo católico.

S. Pio V
Não há senão um catecismo católico romano, é o catecismo do Concílio de Trento, promulgado pelo Papa S. Pio V; nenhum concílio nem Papa algum ordenou a redacção de um catecismo diferente. É o catecismo "para o uso do clero e dos fiéis, das paróquias, das famílias e das casas de educação".

S. Pio X
O catecismo de S. Pio X é uma adaptação autêntica para o uso das crianças. Mas, considerando o atrofio actual dos cérebros embrutecidos pelo audio-visual, [e a doutrinação de falas ideias "católicas"] pode dar-se hoje este catecismo para instrução dos adultos.

Naturalmente, só pode instruir-se quem tenha humildade de dar-se conta de que não sabe muito e de que há muito por aprender. A esta boa atitude opõe-se aquela, metodicamente infundida aos estudantes hoje em geral, de que sabem tudo e devem opinar sobre tudo mesmo antes de terem aprendido alguma coisa.

À explicação dos textos (Credo, Pater, mandamentos), a instrução religiosa agrega narrações históricas, vida de Jesus, dos santos, história sagrada, história da Igreja.

Portanto, são de facto, tanto em ordem sobrenatural como natural, os dois métodos fundamentais, universais, complementares da educação intelectual:

a) Explicar (e fazer explicar) textos;
b) Narrar (e fazer narrar) histórias."

(Continuação, aqui)

2 comentários:

FireHead disse...

O que é que acha da notícia que dá conta duma conspiração para matar o Papa e o paralelo que se faz com as profecias apocalípticas de São Malaquias?

ASCENDENS ASCENDENS disse...

FireHead,

A notícia é parte de outra conspiração e não noticia nada de realístico.

Tem o Catecismo de S. Pio X ou o de Trento?!

TEXTOS ANTERIORES