08/09/11

ZENITE - FOI DESTA QUE BENTO XVI APOSTATOU ?


ZENIT- 30-08-2011

CATÓLICOS E LUTERANOS: ESFORÇOS DE APROXIMAÇÃO


Papa confere dimensão ecuménica à sua viagem à Alemanha

CIDADE DO VATICANO, terça-feira, 30 de agosto de 2011 (ZENIT.org) – “A Igreja Católica e a Federação Luterana Mundial preparam uma declaração comum sobre a Reforma, frente ao quinto centenário da publicação das 95 teses de Lutero, em 2017”, destacou a Rádio Vaticanonesta segunda-feira. O Papa quis dar uma dimensão ecuménica à sua próxima viagem à Alemanha.

O presidente do dicastério romano para a promoção da unidade dos cristãos, cardeal Kurt Koch, anunciou a notícia em uma entrevista concedida à agência católica alemã KNA.

O texto “deveria analisar a Reforma à luz dos dois mil anos do cristianismo”, destaca a Rádio Vaticano, acrescentando que “a comemoração comum deste aniversário poderia ser a ocasião de um mea culpa recíproco”. Para o cardeal Koch, é necessária “uma purificação comum da memória”.

Durante sua viagem à Alemanha, de 22 a 25 de setembro, Bento XVI visitará Erfurt, onde Lutero realizou uma parte dos seus estudos. O cardeal Koch revelou que foi o próprio Papa quem quis que sua viagem tivesse uma forte dimensão ecuménica.

A terceira viagem de Bento XVI ao seu país natal tem como lema “Onde está Deus, há futuro” e incluirá também visitas a Berlim, Etzelsbach e Friburgo.

A chanceler alemã Angela Merkel, filha de um pastor protestante, destacou, por sua vez, que a viagem de Bento XVI incentiva “a convergência e a solidariedade entre os cristãos e a sociedade actual”.


Intensa preparação

Precisamente para preparar sua viagem à Alemanha, o Papa teve, em 13 de agosto, um encontro de mais de três horas com uma delegação oficial do episcopado alemão, formada pelo arcebispo de Munique e Frisinga, cardeal Reinhard Marx; pelo presidente da conferência episcopal, Dom Robert Zöllitsch; e pelos bispos de Osnabrück e Essen, Dom Franz-Josef Hermann Bode e Dom Franz-Josef Overbeck, respectivamente.

A entrevista se desenvolveu “em um profundo espírito de fraternidade”, segundo a Rádio Vaticano. Prolongou-se com um almoço, de maneira que o momento de partilha durou, no total, “mais de três horas”.

Em um comunicado divulgado por ocasião deste encontro, os bispos alemães explicaram que informaram a Bento XVI sobre o processo de diálogo nacional estabelecido pela Igreja na Alemanha.

Os bispos convidaram cerca de 300 católicos, leigos e religiosos, para reflectirem juntos, durante os próximos quatro anos, sobre a fé e o futuro da Igreja Católica. Este processo de diálogo foi proposto durante a assembleia plenária de outono de 2010 e a primeira edição aconteceu nos dias 8 e 9 de julho, em Mannheim.O Papa se mostrou muito interessado neste processo, que poderia, em sua opinião, dar um impulso importante para o futuro da Igreja. Bento XVI destacou que este diálogo é um caminho espiritual de renovação e incentivou os bispos alemães a continuarem neste caminho. Além disso, sublinhou o vínculo que deveria ser estabelecido com o 50º aniversário do Concílio Vaticano II.

Programa

O Papa começará sua viagem em 22 de setembro, na capital alemã. Após a cerimônia de boas-vindas do Castelo de Bellevue e os encontros com o presidente, Christian Wulff, e a chanceler, Angela Merkel, pronunciará um esperado discurso no Parlamento do Reichstag.

Depois, ele se encontrará com a comunidade judaica em uma sala do Reichstag e celebrará a Missa no Olympiastadion de Berlim.

Na sexta-feira, dia 23, pela manhã, o Pontífice se encontrará com representantes da comunidade muçulmana. Depois se transladará a Erfurt, na Turíngia, aos lugares em que Lutero viveu.

Após a visita à catedral de Santa Maria, terá um encontro com os representantes do Conselho da Igreja Evangélica; depois participará de uma celebração ecuménica na igreja do convento dos agostinianos de Erfurt.

À tarde, o Papa se dirigirá ao santuário de Nossa Senhora de Etzelsbach, onde presidirá as vésperas marianas na Wallfahrtskapelle. À noite, voltará a Erfurt.

No sábado, 24 de setembro, às 9h, presidirá Missa na Domplatz de Erfurt. À tarde, irá a Friburgo, ao Baden-Württemberg: lá, após a visita à catedral e a saudação aos cidadãos, ele se encontrará com o ex-chanceler Helmut Kohl.

Depois, terá três encontros: com os representantes das igrejas ortodoxas, com os seminaristas e com o Conselho do Comité Central dos Católicos alemães. À noite, participará de uma vigília com os jovens na Feira de Friburgo.

No domingo, 25 de setembro, o Papa presidirá a Missa e o Ângelus no Aeroporto Turístico de Friburgo. Depois de almoçar com os membros da Conferência Episcopal Alemã, terá um encontro com os juízes do Tribunal Constitucional Federal e com os católicos comprometidos na Igreja e na sociedade.

Às 18h45, acontecerá a cerimônia de despedida, no aeroporto de Lahr, e a volta a Castel Gandolfo à noite.

5 comentários:

Órgão - Fotolog disse...

Meu caros ... quem diz que os tempos não estão próximos está cego.

Olga Teixeira disse...

é verdade. o tempo para resolver tudo isto está proximo.

não sei ao serto se irás publicar isto mas uma das coisas que aprecio nos luteranos é a capacidade de serem "abrangentes". estão com a sociedade e para a sociedade. os países mais desenvolvidos são sem dúvida países protestantes.

de facto, tb é uma vrdd, os luteranos são axcessivamente abertos e essa abertura leva ao desequilibro entre eles, que actualmente estão a resolver e a tentar o equilibrio de forma a haver uma maior aproximação com roma.

o tempo dirá e devemos, apenas, rezar e não ter receio do que possa acontecer...

abraço.

ascendens disse...

Olga Teixeira,

O artigo foi publicado para que os católicos se alarmem com os sinais da apostasia e do crescente estado de necessidade da Igreja. Certamente que os que está fora da Fé entenderão o contrário.

ascendens disse...

Repare no título do artigo "ZENITE - FOI DESTA QUE BENTO XVI APOSTATOU ?"

ascendens disse...

Olga Teixeira,

Como viu, Assis agora comprovou o contrário das suas esperanças. O falso ecumenismo de Bento XVI está para ficar e foi mais uma vez promovido.

A "abrangência" dos luteranos inclui o erro e a verdade, e por isso não têm Fé, pois a Fé não admite o erro. A verdade exclui o erro, e a Olga prefere isso!!! Não sabe que aos mornos Deus vomita?

A Olga defende que a Igreja deveria estar para a sociedade e com a sociedade, e defende que os erros da sociedade, por "abrangência" devam ser promovidos... Não repara nisso!? Não entende que são coisas contraditórias e más? Não sabe que a Igreja não deve seguir a sociedade mas antes deve ensinar e ser orientação para a sociedade?

Os países mais desenvolvidos são protestantes? Essa frase só pode estar certa na boca de quem abandonou a Fé Católica, pois a sua noção de "desenvolvido" é materialista/naturalista, ou seja, herética. Realmente a Olga está com o satânico espírito do luteranismo. Veja isto para que entenda melhor em que erros se anda a meter:

"Por trás dos chamados de Lutero ao Cordeiro que salva, por trás de seus movimentos de confiança e sua "fé" no perdão dos pecados, há uma criatura humana que levanta a cabeça e faz seus negócios no lodaçal em que está submersa por causa do pecado de Adão! Desenvolver-se-á no mundo, a lei deste mundo que é o seu mundo. Deus será somente um aliado, um poderoso" Jaques Maritain

"O resultado do protestantismo foi o que os homens se apegaram ainda mais aos bens deste mundo, esquecendo-se dos bens eternos, E se um certo puritanismo chega a exercer uma vigilância exterior sobre a moralidade pública, não impregnará os corações do espírito verdadeiramente cristão, que é um espírito sobrenatural, onde reina a primazia do espiritual. O protestantismo, necessariamente, será conduzido a proclamar a emancipação do temporal em relação ao espiritual. Esta emancipação, justamente, vai reencontrar-se no liberalismo. Os Papas tiveram portanto muita razão em denunciar este naturalismo de inspiração protestante como sendo a origem do Liberalismo que transtornará a cristandade em 1789 e 1848." [...] "Este naturalismo se aplicará à ordem civil e social: ficando a graça reduzida a um sentimentalismo de fé-confiança, a Redenção será somente uma religiosidade individual e particular, sem influência na vida pública. A ordem pública, económica e política fica condenada a viver e se desenvolver sem Nosso Senhor Jesus Cristo. O protestantismo buscará no seu êxito económico o critério de sua justificação diante de Deus, Assim, de bom grado escreverá sobre sua porta "Rendei honras a Deus por teus bens, oferecei as primícias de teus ganhos, então teus celeiros se encherão e teus tonéis transbordarão de vinho". (Prov. III, 9-10)"(Mons. Lefebvre em Do Liberalismo à Apostasia)

Eis o sentido de "desenvolvido" da Olga, o protestante, materialista, naturalista, sem obra da graça divina. E sobre isso mesmo diz o Papa Leão XIII na Enciclica "Quod Apostolici":

"Bem sabeis, Veneráveis Irmãos, que a guerra cruel iniciada contra a Fé católica pelos inovadores, desde o décimo sexto século [protestantismo e suas consequências posteriores até ao racionalismo]e que vem recrudecer diariamente até ao presente, tinha por fim unicamente afastar toda a revelação e toda a ordem sobrenatural, para abrir a porta aos invento e delírios da razão".

Ainda acredita que a barbárie revestida de ferro polido é o verdadeiro desenvolvimento? Já pensou qual o motivo da cardinalícia queixa sobre a selvajaria inglesa actual, quando da ida do Papa ao Reino Unido?

Olga, converta-se, que já teve muitas oportunidades.... entende?!!!

TEXTOS ANTERIORES