21/08/11

O MEU TESTEMUNHO















O artigo que vem antes mostra como o Bispo D. Henrique (Brasil) concebe as críticas de alguns católicos ao estado decrépito a que submetem a Santa Igreja. Faz acusações sem se defender, ataques às ovelhas sem as ensinar.

Quero então dar um breve testemunho para que não se pense que eu, tal como outros na mesma situação, sou um "outro católico" ou um outra coisa verde ou azul, terrestre ou de um planeta inexistente. Basta de inventarem coisas e de acusarem as pessoas ao mesmo tempo que não as sondam sequer. 

Caro leitor coloque-se na minha situação:
- Creio fundamentadamente que a Missa, segundo o Missal de Paulo VI, é perigosa para os fiéis, é heretizante em si, e que tal está na diferença que tem relativamente ao Missal que codifica o Rito Romano (Missal de S. Pio V). Não se trata portanto de uma mera preferência minha, um gosto superficial, mas sim de uma questão de Fé (uma questão profundamente doutrinal). Até hoje nenhum sacerdote ou Bispo diocesano se atreveu a demonstrar que assim não fosse, e antes que a questão seja levantada, adiantam-se apenas argumentos de autoridade. Por outro lado, na região apenas há missas segundo o Missal de Paulo VI (o que se torna uma afronta).

- Sempre que neste últimos anos fui à Missa segundo o Missal de Paulo VI, por motivo de um funeral (por exemplo), os sermões dos sacerdotes diocesanos estavam repletos de erros doutrinais ou, curiosamente, no caso de sacerdotes mais velhos, que começaram com um discurso católico, acrescentaram-lhe depois um "mas", e terminam por desfazer o que no início tinham afirmado (sim sim, mas mas). Os sacerdotes hoje são formados apenas com base no Concílio Vaticano II, que é apenas pastoral, e partindo dele reinterpretam tudo o que é doutrinal e lhe venha à mão. Contra a Doutrina nada é possível, muito menos na Santa Igreja. Como vou eu pedir recomendações, orientações, ensinamentos, a padres que não conhecem o que devem transmitir?

Não é dever dos Bispos e padres mostrar o certo aos católicos e afastá-los do erro? Em troca limitam-se hoje a criticar ovelhas, principalmente aquelas que queiram ser mais conformes ao que a Igreja sempre ensinou porque reconhecem em tais ensinamentos a Voz de Deus, a justiça, o perfeição, a verdade ...

Haverá algum Bispo neste país que se preocupe com isso? Em tantas pastorais que se fazem e se subcidiam não há uma única que trate com os católicos que querem continuar a ser fieis à Igreja, à sua Doutrina, e semque tenham de ser apelidados de "cismáticos", "maus", "hereges", "ignorantes"...?!!! Que estanho não haver uma pastoral para católicos tradicionais, havendo, isso sim, pastorais da mobilidade dedicadas aos católicos mais tradicionais idosos e sem defesa, na intenção de, gradualmente, abandonem o resta dos vestígios da Doutrina e bons-costumes católicos. Que estranho haver tantos preparativos "ecuménicos" (falso ecumenismo) e nem querer escutar as questões levantadas pelos tradicionais católicos de maior capacidade e fundamentação.

Valha-nos Deus...

5 comentários:

Ana Maria Nunes disse...

O pior é que ele n é o único louco daqui! O bispo de Jales, escreveu um livro: revisitar o CVII .
A cnbb vai fazer uma série de comemorações em 2012.

Tem outro que n lembro o nome, ao dar entrevista sobre a destruição da imagem de Nossa Senhora por vândalos, disse que n temos culpa de sermos Católicos... a coisa tá feia!

Para coroar o papa elogiou o cardeal patriarca de Lisboa, é trevas pura!

ascendens disse...

Não estou sabendo nada do elogio de Bento XVI ao Card. Patriarca de Lisboa. Espero que tenha elogiado algo de bom e lhe tenha puxado as orelhas pelo muito de mal.

"Não temos culpa de sermos católicos"? Isso soa muito estranho! Se ele não quer ser católico pode apostar na hora!

Sobre a revisão do Concilio Vaticano II eu já li uma tragicomédia de um documento de uns frades no Brasil que resumia uma reunião onde tratavam esse assunto. O amigo modernista conservador A Casa de Sarto publicou esse louco documento como algo de bom. Tal documento é tão mau que um psiquiatra com pouca dificuldade declararia tais monges como esquizofrénicos. É triste o que se faz para tentar em vão conjugar o erro com a verdade.

Ana Maria Nunes disse...

Menino, n é documento. É livro de um bispo.

****** Leia o que o papa falou:
http://portantoentretantotodavia.blogspot.com/2011/08/o-papa-elogia-cardeal-patriarca-de.html

Ana Maria Nunes disse...

Sobre o livro:
http://portantoentretantotodavia.blogspot.com/2011/08/lancado-livro-que-sera-subsidio-segundo.html

ascendens disse...

obrigado.

TEXTOS ANTERIORES