09/05/17

YAZIDIS SAIRAM DE PORTUGAL

A respeito da crise mundial agravada pela invasão islâmica, temos simpática notícia em Portugal. Melhor dizendo ... não é propriamente islâmica ... Escutemos o Diário de Notícias (4 de Maio):

Refugiados Yazidis Nem Uma Semana Ficaram em Portugal


(Saman Ali, na foto com o cartaz, é o único yazidi que faz questão em estudar e trabalhar em Portugal)
 
Saman Ali, um dos 24 yazidis que chegaram a Portugal há um mês, escreveu uma carta aberta ao Presidente da República, publicada esta quarta-feira pelo Expresso, onde pede ajuda para ficar e revela que é o único do grupo que ainda está em território nacional. Os outros 23 já abandonaram ilegalmente Guimarães, onde tinham sido acolhidos. [... hoje o que dizem ser "legítimo" procede de lei não legítima, e vice-versa - neste caso: 23 "refugiados" que não se querem refugiar estão a ir contra a lei do país estrangeiro, onde não pertencem, e do qual querem sair!]
 
Houve casos de familiares que nem uma semana ficaram no nosso país, soube o DN junto a fontes policiais que estão a acompanhar estes movimentos. A responsabilidade pela sua permanência é das entidades de acolhimento ["a responsabilidade pela sua permanência"... responsabilidade de permanência!... permanência...], neste caso a Câmara Municipal de Guimarães [... é para isto mesmo que existem câmaras municipais - note-se que Guimarães é a cidade "berço da nação portuguesa", e agora não deverá ter sido escolhida pelo seu clima "quente", certamente...], mas que não podia impedir a sua partida, uma vez que Têm liberdade de circulação. Estão obrigadas a informar os refugiados que perdem todos os seus direitos de protecção quando saem do país (...).

"Lamento que isto aconteça. Sinto-me frustrada e receio que isto possa desincentivar quem tem trabalhado tanto, como eu, para conseguir que estes refugiados viessem para Portugal", reage a eurodeputada Ana Gomes [a comunista Ana Gomes tenta apagar o Cristianismo dos símbolos pátrios, como se vê, logo Guimarães é o eleito para sementeira]. (...) A eurodeputada pretendia trazer para Portugal cerca de 400 yazidis que estavam na Grécia e em Itália [portanto, não vieram da região da antiga Assíria, mas sim da Itália, e da Grécia onde têm antiga comunidade RELIGIOSA, que desde 1990 se desdobrou para a Alemanha].  "Acho que não devemos desistir de fazer o que está certo e devemos continuar a aceitar acolher estas pessoas. Não podemos é ter ilusões de que, caso abandonem Portugal, vão ter de voltar outra vez quando forem detectados noutros países. É um sistema perverso", afiança. [Ó Ana Gomes, senhora euroderrubada, diga lá se durante décadas não tem combatido o Cristianismo com a promoção das ideias opostas e forças que lhe sejam opostas, sonhando em remover o necessário e indelével vínculo de Portugal com a Santa Igreja Católica e o Catolicismo tradicional?; tenta um "novo Portugal", uma nova "portugalidade"? Mas porque motivo se empenha tanto? Sabe muito bem, que os yazidi são o que resta do MITRAISMO (religião do deus Mithra, com o qual os ATEUS atacam o Cristianismo, dizendo ser Cristo uma invenção decalcada de Mitra, e que tal é vergonhosa prova). Olhe o que está a tentar colocar na cidade berço de Portugal tão empenhadamente... QUATROCENTOS. Sabe também que os yazidis são indesejados dos "extremistas islâmicos", e que a guerra que a senhora euroderrotada faz não é contra o cristianismo liberal, mas sim contra aquele o de sempre, ou seja, contra o tradicional (que professa a mesma doutrina milenar na forma que sempre foi entendida e transmitida), pois a esta chama-lhe EXTREMISTA também. A sua guerra, Senhora eurotranstornada é o mais refinado modernismo: conservando ainda as formas, progride-lhes o conteúdo, deixando-lhes a unidade (SER) cada ver mais colapsada. Eis o ensinamento dos pensadores da nova-esquerda... Rua... rua que não é portuguesa].
 
Na sua missiva, Ali, o professor universitário de biologia - que se destacou logo à chegada exibindo um cartaz a dizer "Obrigado Portugal. Adoro-te" - pede a Marcelo para acelerar o seu processo de asilo, pois quer estudar, trabalhar e ficar no nosso país "o resto da vida". Contactada a Presidência, fonte oficial disse que "não foi recebida" em Belém esta carta. (...)

Nos últimos dois meses, conforme o DN já noticiou, duplicou o número de refugiados a deixar o nosso país. Os dados recolhidos pelo DN registavam, na última semana de abril 474 fugas, de um total de 1255 recolocados até essa data. Uma taxa de quase 40% de chamados "movimentos secundários" e uma das mais elevadas da Europa. (...)

6 comentários:

Gang2 Ervilha disse...

Há cerca de uns meses atrás, noticiava-se em vários órgãos de informação, a fuga de cerca de 200 refugiados:

http://www.dn.pt/portugal/interior/refugiados-em-fuga-mais-de-200-ja-sairam-de-portugal-5661391.html

Anónimo disse...

Mitrismo e Zoroastrismo estão hoje mudificados e são atirados pelos ateus contra os cristãos e contra as outras religiões antigas. Não há dúvida que a eurodecapitada opera segundo planos de fora.

ASCENDENS ASCENDENS disse...

Assim é

ASCENDENS ASCENDENS disse...

Gang da Ervilha, obrigado pela informação.
O que é certo é que eles fogem e querem fugir, embora sejam aqui tratados com todos os privilégios e comodidades.

Anónimo disse...

Esse povo há anos está sendo massacrado por radicais islâmicos no Iraque, principalmente pelo ISIS. Esses são um dos menos que os portugueses deveriam se preocupar.

ASCENDENS ASCENDENS disse...

Antónimo ... é isso mesmo "um dos menos que os portugueses deveriam se preocupar"... é isso que acontece. Por outro lado, devemos temer os que ficam.
Os radicias fazem nascer a RESPOSTA no ocidente, e os moderados não. Neste ponto de vista eu tenho mais receio daqueles que não provocam a reacção, porque acabam por ficar entre nós.

Que lhe parece?

TEXTOS ANTERIORES