01/12/16

DADOS ACTUALIZADOS SOBRE CRISTOVÃO COLON


A misteriosa origem do famoso navegador Cristóvão Cónon foi interrogação que comovera o seu filho Fernando Cónon na busca da origem paterna. A primeira biografia de Colon foi escrita por Fernando Colon, filho ilegítimo, espanhol; muito mais tarde foi publicada a famosa biografia italiana, a qual dá Colon por genovês. A tentativa de corrigir os vários erros desta biografia deram origem à tese do Crolon catalão, a qual também não consegue ver-se livre de incoerências significativas (e não consegue fazer prova do seu maior objectivo); para solucionar também esta tese surgiu a hipótese do Colon galego.

A tese do Colon português é a única que até ao momento subsiste e que consegue dar resposta aos enigmas anteriores. Cristóvão Colon era português de nascimento e criação mas pertencendo por sangue à Casa Real da Polónia (o ADN comprovam a sua origem caucasiana).

Resumidamente, actualizemos:

1 - Colon era filho bastardo da realeza Polaca com uma fidalga portuguesa;

3 - Foi instruído clericalmente (nas principais disciplinas da época) e adquiriu também a arte da navegação;

2 - Com autorização do Príncipe D. João II de Portugal, Colon casou-se com a fidalga portuguesa Dona Filipa Moniz de Perestrelo (filha do falecido Capitão de Porto Santo);

3 - Colon ficou ligado às terras do Sul (Alentejo) de Portugal, onde terá nascido (mais provavelmente na vila de Cuba);

4 - Conhecia as coordenadas de Canárias à América central, e o tempo de duração da viagem (na sua primeira viagem teria chegado dia 11 caso não tivesse feito propositadamente as conhecidas manobras "inexplicáveis" no final dessa viagem, que permitiu então chegar dia 12). Conhecia previamente o caminho de retorno até às ilhas portuguesas no Atlântico:

5 - Os portugueses conheciam as Américas, mas não havia concórdia que elas fossem uma extensão da Ásia; Colon estava convicto de que sim (daqui a sua proposta de ir à Índia, por Ocidente), e a opinião principal (a Régia) era diferente (e verificou-se mais acertada).

6 - No regresso da primeira viagem os primeiros reis com quem Colon privou foram os de Portugal;

Etc...

3 comentários:

Gonçalo disse...

Como é que o teste de adn prova que era de descendência polaca? É que diz no texto que era caucasiano, mas os portugueses são caucasianos, a esmagadora maioria.

ASCENDENS ASCENDENS disse...

Caro Gonçalo,

obrigado por comentar.

A frase em questão: "Cristóvão Colon era português de nascimento e criação mas pertencendo por sangue à Casa Real da Polónia (o ADN comprovam a sua origem caucasiana)." O ADN comprova a sua origem caucasiana, assim está escrito; não está escrito que o ADN prova que era português de nascimento e criação, nem que pertencia à Casa Real da Polónia.

Não quero fazer publicidade aos livros do Manuel Rosa, os quais contêm alguns erros lamentáveis, mas há que dar-lhe o valor de ter dito algumas coisas fundamentais da questão e de ter feito uma recolha informativa memorável; portanto aqui tem um comentário deste autor à questão da Polónia:

http://geneall.net/fr/forum/168266/cristovao-colon-e-os-reis-da-polonia-descendentes-do-consul-e-juiz-romano-tronco-dos-colonna/

Vote sempre.

ASCENDENS ASCENDENS disse...

Fica resolvido o mistério do secretismo que Colom fazia nas suas origens. Nem o Filho Fernando, seu biógrafo conseguiu certezas quanto a isso. Para D. João II ter deixado D. Filipa casar-se (porque era comendadeira da Ordem de Santiago) era porque sabia da nobreza de Colombo, e para saber dela sabia de onde vinha, ou por ser filho de sua mãe fidalga (desonrada), ou por ser filho de seu pai e descendente daquela alta linha polaca. Por "horar pai e mãe" bastaria isso, e para evitar o pecado de escândalo.

Lá se vai a tese absurdona do Colon Italiano, lá se vai a tese esburacada do Colon Catalão, lá se vai a tese torta do Colon galego, e fica apenas várias teses do Colon português, das quais a totalmente satisfatória é a do Colon português de origem polaca. Neste momento é já impossível retirar Colon de Portugal.

TEXTOS ANTERIORES