01/10/13

PAPA FRANCISCO OFENDE A PORTUGAL


Entre as várias não susjeições do Papa Francisco ao cargo pontifício, coube agora a Portugal ver em si reflectido mais um dos não cumprimento, com danos acrescidose sem nos ser dada qualquer desculpa ou justificação: é primeira vez na história que o Papa desrespeita a palavra dada pelos seus sucessores no que toca à Bula de Ouro, segundo a qual os Patriarcas de Lisboa são elevados a Cardeais no primeiro consistório depois de eleitos. O Papa Francisco fez saber que elevará o Patriarca de Lisboa a Cardeal apenas no segundo consistório (Fevereiro de 2014).

Imaculada Conceição, Rainha de Portugal (Santuário Nacional - Vila Viçosa)
 Nos tempos em que Portugal era governado pelos seus legítimos, teria havido uma declaração de descontentamento junto com um pedido de esclarecimentos. Mas hoje.... nada. Os liberais "monárquicos" em seus tempos de "glória" ruíram com a estrutura da Santa Igreja Patriarcal de Lisboa, desrespeito para com Deus e com a Pátria. Hoje a républiqueta achará que este assunto nacional não lhe diga respeito algum (e não é mesmo... o único tem de tratar urgentemente é sair porta fora).

S. Miguel Arcanjo, anjo custódio de Portugal
 Mas os homens da Igreja? Onde estão os homens da Igreja?! Uma parte dos nosso legítimos da Santa Hierarquia, em Portugal, há muito se relaxam no respeito à Bula de Ouro: "vamos lá ver se o Santo Padre quer ou não elevar a Cardeal o Patriarca" ou "a elevação a Cardeal é o Santo Padre que vai decidir, se quiser"... assim diziam publicamente nos tempos do Card. Patriarca D. José Policarpo, e já antes o diziam mais discretamente (evolução que deu no que deu... mal pensar > mal dizer > mal acontecer).

Se alguns Senhores Bispos falaram nestes temas, porque de fazê-lo com indiferença ou até desprezo? É certamente consequência do catolicismo ter Bispos que digam justamente o contrário e que se sintam obrigados a defender o que é católico e português. Os portugueses de hoje alegram-se de termos tido 3 Cardeais residentes e em funções em Portugal, junto ao Rei (o Cardeal Patriarca e dois Cardeais Nacionais)? Não vemos quem hoje se alegre minimamente nestas coisas recordando com alegria quanto fomos ou somos grandes para a Santa Igreja. Pelo contrário, há discreto e "católico" ranger dos dentes juntos, que quando separados deixam passar frases destas: "... ainda bem, ainda bem que todas essas futilidades acabaram"! Mas nem tanto... porque cada vez menos se ouvirá tal coisa, pois os católicos vão sabendo cada vez menos disto, a sua alegria foi transferida, a hierarquia, por sua vez, tende a ser gradualmente entendida como um adereço de farrapos (ouvem-se aplausos a isso), ou então é vista como uma elite que deva supera a verdade ou que deva existir independentemente da verdade (das mãos de outros ouvem-se aplausos a isso) - tendências gerais entre o progressismo e o conservadorismo! Nns há fobia em olhar a superficial mitificação que têm relativamente ao passado (seja qual for o motivo, o passado parece-lhes mal), e outros, olhando o passado com a mesma superficialidade, encontram nele matéria discreta para alimentar a concupiscência.

Bula de Ouro
Estando obrigado à Bula de Ouro, tal como os seus antecessores estiveram e deram sinal de cumprimento e sujeição humilde à palavra dada, o Papa Francisco parece agora colocar-se mais alto que todos eles, como se lhe tivesse sido dado o poder para agir sem qualquer tipo de sujeição aos antecessores. Se tivesse sido para dar de comer a criancinhas famintas a transgressão da bula teria sido uma ofensa até certa medida tolerável, mas, pelo contrário, a transgressão é uma ofensa gratuita a Portugal.

Começa a ser quase impossível HONRAR um Papa que, além de tudo o que tem dito e feito, dá provas de de despreocupação!

S. Pedro (pintura: Grão Vasco, Portugal, Sec. XVI)
Hoje, perante o crescente estado de necessidade da Igreja, não estranha que nos governem aqueles que são fruto de doutrinas corrompidas, e que o mesmo estado de necessidade desculpe parcialmente a confusão reinante e a ausência de fé nos mesmos! Mas este agravo de agora é básico: ir abertamente contra a palavra dada assente num documento que não tem dificuldade interpretativa e foi seguido a preceito por todos os Papas, é uma mudança de actitude incompreensível onde não coube uma explicação sequer pelas suas consequências morais... Isso é algo tão básico que ateus não admitiriam a um governante ateu!

Sempre há "católicos" dispostos a não ver, sempre há quem caia na tentação de dizer: "não houve qualquer irregularidade, porque o Patriarca vai receber o chapéu cardinalício no primeiro consistório de 2014"? Vamos aclarar, a elevação do Patriarca de Lisboa a Cardeal, segundo a bula, e como sempre tem acontecido, tem que ser feita no primeiro consistório logo depois de ser nomeado Patriarca.


Neste domingo, dia 29 de Setembro, dia de S. Miguel Arcanjo, Anjo Custódio de Portugal... vimos ofendida a nossa pátria por mãos do Papa Francisco. Que grande contradição... que grande afronta... Já que o Papa se demite de nos defender, e antes nos ataca... que esperar!?

Levanta-te Portugal, por Deus, pela Santa Igreja e pela Pátria, rezai 5 e falai 1... é hora!

Deus converta o Papa.

Viva Nosso Senhor e as suas cinco chagas,
Viva a Imaculada Conceição, Nossa Senhora Santa Maria,
Viva S. Miguel Arcanjo, anjo custódio de Portugal,
Viva Portugal.

5 comentários:

Anónimo disse...

O Patriarca de Lisboa é nomeado Cardeal no consitório seguinte à sua nomeação desde que o consistório seja convocado para esse efeito, ou seja, nomear cardeais...

Anónimo disse...
Este comentário foi removido por um gestor do blogue.
ASCENDENS ASCENDENS disse...

Anónimo,

Obrigado por ter comentado.

Gostaria de saber QUANDO recebeu essa informação, e, já agora, de quem a recebeu.

Volte sempre.

ASCENDENS ASCENDENS disse...

(a mensagem posterior foi apagada por conter linguagem imprópria e ameaças nada católicas)

ASCENDENS ASCENDENS disse...

"O Patriarca de Lisboa é nomeado Cardeal no consitório seguinte à sua nomeação desde que o consistório seja convocado para esse efeito, ou seja, nomear cardeais..."

Meu Deus... como a mentira tem pernas curtas!

O número de Cardeais é fixo... hoje é que se inventou um número de Cardeais ao calhas. Se um Papa não pode (ou não quer) nomear mais Cardeais não marca um consistório para nomear cardeais, logo o Patriarca de Lisboa, segundo a frase do anónimo, nunca seria elevado a Cardeal no "primeiro consistório convocado para ... nomear cardeais"!

Em tempos católicos o Patriarca de Lisboa só saia do cargo morto, e isso equivale a ter um Cardeal a menos, hoje é o caos que vemos.

Mas, vamos supor que um Papa não quer nomear mais cardeais e quer nomear apenas cardeal ao Patriarca de Lisboa! Nesse caso convoca um consistório não para nomear cardeais mas para nomear UM cardeal (ainda estou dentro da frase do anónimo). Isto seria então impossível!?

Enfim...

Em suma, o Papa no primeiro consistório, sim ou sim, inclui a elevação do Patriarca de Lisboa a Cardeal, quer nomeie outros cardeais ou não, não é obrigado a nomear outros! Sempre foi assim, apenas Francisco não se submeteu.

Aparecem estes "defensores" de pata curta, ontem para a entrevista dada no avião, hoje para isto, e amanhã para a entrevista dada ao ateu. E de coxear em coxear vai o negrume caminhando do topo à base.

Valha-nos Deus...

TEXTOS ANTERIORES