19/07/13

DO "NOVO MANUAL DO CATEQUISTA" (VIII)


(da primeira parte)

VII CAPÍTULO
Remissão dos Pecados - Pecado

Creio... na remissão dos pecados.
 
133. Que quer dizer "remissão dos pecados"?
R: Remissão dos pecados quer dizer que Jesus Cristo deu aos Apóstolos e aos sucessores o poder de perdoar na Igreja todos os pecados.

134. Como se perdoam os pecados na Igreja?
R: Os pecados na Igreja perdoam-se principalmente com os sacramentos do Baptismo e da Penitência, instituídos por jesus Cristo para este fim.

135. O que é o pecado?
R: O pecado é uma ofensa feita a Deus, desobedecendo à sua lei.

136. De quantas espécies é o pecado?
O pecado é de duas espécies: original e actual.

137. Que é o pecado original?
R: O pecado original é o pecado que a humanidade cometeu em Adão sua cabeça, e que de Adão todos os homens contraem por descendência natural.

138. Entre os filhos de Adão foi alguém preservado do pecado original?
R: Entre os filhos de Adão foi preservado do pecado original só Maria Santíssima; a qual por ter sido escolhida para Mãe de Deus, foi "cheia de graça"* e portanto sem pecado desde o primeiro instante; por isso a Igreja celebra a sua Imaculada Conceição. (* S. Lucas, I, 28)

139. Como se apaga o pecado original?
R: O pecado original apaga-se com o santo Baptismo.

140. Que é o pecado actual?
R: O pecado actual é aquele que comete voluntariamente a pessoa que tem o uso da razão.

141. De quantos modos se comete o pecado actual?
R: O pecado actual comete-se de quatro modos, isto é, por pensamentos, por palavras, por obras e por omissões.

142. De quantas espécies é o pecado actual?
R: O pecado actual é de duas espécies: mortal e venial.

143. Que é o pecado mortal?
R: O pecado mortal é uma desobediência à lei de Deus em matéria grave, feita com plena advertência e consentimento deliberado.

144. Porque é que o pecado grave se chama mortal?
R: O pecado grave chama-se mortal, porque priva a alma da graça divina que é a sua vida, tira-lhe os merecimentos e a capacidade de adquirir outros novos, e torna-a digna de pena ou morte eterna no inferno.

145. Se o pecado mortal torna o homem incapaz de merecer, é então inútil que o pecador faça boas obras?
R: Não é inútil que o pecador faça boas obras, pelo contrário deve fazê-las, não só para se não tornar pior omitindo-as e caindo em novos pecados, mas também para se dispor com elas de algum modo para a conversão e para recuperar a graça de Deus.

146. Como se recupera a graça de Deus perdida pelo pecado mortal?
R: A graça de Deus, perdida pelo pecado mortal recupera-se com uma boa confissão sacramental, ou com a dor perfeita que perdoa os pecados, ficando no entanto a obrigação de os confessar.

147. Juntamente com a graça, recuperam-se também os merecimentos perdidos pelo pecado mortal?
R: Juntamente com a graça, por suma misericórdia de Deus, recuperam-se também os merecimentos perdidos pelo pecado mortal.

148. Que é o pecado venial?
R: O pecado venial é uma desobediência à lei de Deus em matéria leve, ou em matéria por si grave, mas sem toda a observância e consentimento.

149. Porque é que o pecado não grave se chama venial?
R: O pecado não grave chama-se venial, isto é, perdoável, porque não tira a graça, e pode obter-se o perdão dele com o arrependimento e com boas obras, mesmo sem a confissão sacramental.

150. O pecado venial causa dano à alma?
R: O pecado venial causa dano à alma, porque a esfria no amor de Deus, a dispõe para o pecado mortal, e a torna digna de penas temporais nesta vida e na outra.

151. Os pecados são todos iguais?
R: Os pecados não são todos iguais; e como alguns pecados veniais são menos leves do que outros, assim alguns pecados mortais são mais graves e funestos.

152. Entre os pecados mortais, quais são os mais graves e funestos?
R: Entre os pecados mortais, são mais graves e funestos os pecados contra o Espírito Santo e os que bradam ao céu.* (* Fórmulas 24 e 25)

153. Porque é que os pecados contra o Espírito Santo são dos mais graves e funestos?
R: Os pecados contra o Espírito Santo são dos mais graves e funestos, porque com eles o homem se opõe aos dons espirituais da verdade e da graça, e por isso, ainda que possa converter-se, dificilmente se converte.

154. Porque é que os pecados que bradam ao céu são dos mais graves e funestos?
R: Os pecados que bradam ao céu são dos amis graves e funestos, porque directamente contrários ao bem da humanidade e odiossíssimos, provocam, mais que os outros, os castigos de Deus.

155. Que é que particularmente serve para nos desviar do pecado?
R: Para nos desviar do pecado serve particularmente o pensamento de que Deus está em toda a parte e vê os segredos dos corações, e a consideração dos Novíssimos, isto é, do que nos espera no fim desta vida e no fim do mundo.

2 comentários:

Dominique disse...

Uma ligeira correção: no item 140, ao contrário do Sr escrever o que é pecado 'actual' acabou repetindo o que é pecado 'original'.

Paz e bem!

Shalom!

ASCENDENS ASCENDENS disse...

Dominique,

Obrigado por comentar e por avisar a respeito desta gafe (já está corrigida). É um dos defeitos de passar à mão todos os textos, o tem também as suas vantagens.

Volte sempre.

TEXTOS ANTERIORES