08/04/08

MEMÓRIAS DE COMENTÁRIOS VI

7 comentários:

Maurício disse...

Vocês são loucos, esse site é grotesco. Como vocês podem se denominar católicos? Chega de cara de pau. É deprimente ler as matérias que vocês publicam. Não é a toa que são cismáticos...
assumam que estão querendo formar uma nova religião, e parem de falar mal dos verdadeiros Católicos, que são obedientes aos Papas!

Ancien Régime disse...

Estou a ver que há um revigorado influxo do gangue modernista nos nossos blogues a berrar "cismáticos" a cada intervenção.

Bom sinal, bom sinal...

ascendens disse...

"Vocês" quem? Este blogue é da minha inteira responsabilidade. E me chama de cismático porquê? Onde foi que eu fiz um cisma? Porque diz que eu estou fazendo uma nova religião? Quem são esses católicos obedientes ao Papa e que são verdadeiros?
O que eu disse que o desgostou tanto?
Vc. me adjectiva mas não se explica.Poderia adjectivar menos e se explicar mais? Ou é mesmo para ser assim?....

ascendens disse...

Maurício:
Acabei de ajustar algumas coisas no artigo. Mas suponho que continue a não lhe agradar... mas estou aberto a sugestões, de preferência claras.

Obrigado.

Maurício disse...

Não é só sobre esse post que eu falo. Falo do palavreado, vocês falam grosseiramente com todos, chamam todos os católicos de hereges (todos os que seguem e aceitam o concílio vaticano segundo), e que busquem viver sua fé de maneira católica que não seja aquela antes do citado concílio. É triste isso. Até os comentários. Após andar pelo blog, essa é a primeira resposta a um comentário que você (Ascendens) é educado. Todos os outros são acusadores, inclusive dos amigos seus, que chamam pessoas de malditas, pedindo a ira divina aos seguidores da Canção Nova, Chamando o Veritatis de falsitatis, a Renovação de Cismática... onde está o amor de Jesus? Tem certeza que são cristãos? Será que todos os que participam da missa tridentina têm tanto ódio no coração? Sinceramente, achava que tradicionalistas eram aqueles que seguiam a igreja, e não os que buscam sacos de pancada pra chamar de hereges...

ascendens disse...

Maurício:

Que exagero… Tenha calma.
Não há palavreado grosseiro. Há palavreado duro e tem de ser duro porque a situações em que o discurso é duro é para condenar a dura tirania e os duros erros contra a Igreja e contra Deus.
Só uma pessoa escreve artigos neste bloge: eu. Não diga “vocês”.
Diz que chamo hereges aos católicos que seguem e aceitam o Concílio Vaticano II. Não é verdade. Eu aceito o Concílio Vaticano II. E não sei bem o que é isso de “seguir” um concílio. Pois os Concílios servem a Igreja e não é a Igreja que serve os Concílios. Certo? Poderia se explicar melhor?
Você diz “aqueles que busquem viver sua fé de maneira católica”. Não existe Fé que não seja a da Santa Igreja. Não há outra e consiste na crença das Verdades reveladas e é assistida pela graça. Não existem Fés, verdadeiramente é uma palavra sem plural. E se você não tem a Fé que existia antes do Concílio você não tem Fé, porque ela nos foi dada ANTES DO CONCÍLIO por Cristo. Ora se a sua Fé é a do pós Concílio ela não vem de Cristo nem é da Igreja. Certo? Como pode defender a Igreja se renega tudo o que a Igreja ensinou durante 2000 anos? Isso é impossível.
Me caro… eu tenho de lhe dizer frontalmente e sem medo: se você recusar os ensinamentos da Igreja para abraçar apenas o Concílio Vaticano II eu tenho obrigação como católico e pelo que me é conferido pelo baptismo de alertar que você está caindo em cisma e heresia. Por vários motivos que poderei lhe explicar. Acontece que as pessoas que vêm comentar neste blogue, e que são contra a Igreja em nome da Igreja, que é um fenómeno que elas ainda não entenderam, são tratadas por hereges porque se recusam a ver e a procurar com honestidade.
Se o Demónio lhe aparecer e quiser roubar a alma de teus amigos e familiares você vai dar beijinhos nele? Certamente que não. Pois a Canção Nova e outros movimentos são um perigo para as almas. E como você pode ter certeza de tal coisa? Você pode ter certeza porque elas praticam coisas que a Igreja CONDENA como heresia. Ora você está contra o que a Igreja diz ou está a favor?
Jesus não tem amor pela Canção Nova. Quem tem amor por ela é o Demónio. Você como pensa que a Canção Nova e uma coisa boa e da Igreja pensa também que devemos ter amor por ela. Mas ela faz perder muitas almas porque pratica constantemente a heresia e difunde a heresia. Entede? Amor de Jesus é alertar assas pessoas para abandonarem esse mal, e eu condeno o estado herético em que a Canção Nova está pensando na salvação das almas que ela faz perder.
Você diz que eu tenho ódio? Mas não devo ter ódio ao mal? Sabe como Bernardete definiu “pecador”? Disse ela: é aquele que ama o pecado. O amor e o ódio fazem parte do dever cristão. Devemos amar o Bem e odiar o mal. E quem tenta eliminar o ódio acaba amando o mal… O amor é um perigo também. As almas não são condenadas pelo amor? Os pecados mortais são amores: a luxúria é um amor. Esse amor é diferente? Não diria que ele é diferente mas como é aplicado a uma coisa errada ele se desenvolve de maneira diferente daquele que é aplicado ao bem e assim se manifesta em duas formas distintas. O Papa Bento XVI fala desses dois “amores”. O ódio é próprio até de Deus que, na Bíblia, diz abominar, odiar…
Você critica os “tradicionalistas” que são uma pequena cidade de católicos fieis à Igreja e não critica os hereges modernistas que todos os dias cometem crimes arrastando as almas dos nossos irmãos para o inferno? Você prefere beijinhos de prostituta do que asoites da verdade? Que homem é você? É CAVALEIRO? PEGUE NA CRUZ E NA ESPADA PORQUE ESTÂO ATANDO A IGREJA MESMO DIANTE DE TEUS OLHOS.

SÓ TEM DOIS EXERCITOS: um se juntará ao anticristo e outro a Cristo.

ascendens disse...

Como é que o Vc ainda nao viu o que estão fazendo coma Igreja de Cristo?!!.... Entrou neste blogue e não se ofendeu com a barbaridade sacrilega e herética e vêm criticar quem condena tais coisas?

http://cathcon.blogspot.com/

veja isso... tem um monte de fotos e vídeos... Conheça a Fé de sempre que nunca mudou em 2000 anos e venha lutar contra o mal que arrasta contra o modernismo que é o maior perigo para a Igreja.

TEXTOS ANTERIORES